"O profissionalismo, cuidado e dedicação da Dra. Elisangela ficam evidentes já no primeiro contato. Ela busca, além de um resultado ideal, o bem estar e conforto dos pacientes, desde o ambiente do consultório até a disponibilidade para atender a dúvidas e questionamentos. Durante todo o tratamento, todos os passos me foram explicados e acompanhados de perto por ela e pela Rosana, outra pessoa muito competente e sempre a par do que acontece com os pacientes. Indico a doutora Elisangela não só pela excelente profissional que ela é, mas, também, por ser uma pessoa incrível, que sabe, ama e acredita, genuinamente, no que faz."

Alice Tapias Bergamaschi Bonates

Dores: Cabeça e Ouvido / Zumbido

A dor orofacial é uma condição associada aos tecidos da cabeça, face, pescoço e estruturas da cavidade oral. Para falar sobre isso, é preciso primeiramente falar sobre a articulação da face.

Conhecida como ATM (articulação temporo-mandibular), ela é a responsável por todos os movimentos que você faz com sua boca, existindo uma em cada lado da face. Para senti-la, basta colocar os dedos à frente do ouvido, abrir e fechar a boca. É através dessa articulação que conseguimos comer, engolir, mastigar, bocejar e falar.

Qualquer problema que impeça o adequado funcionamento desse complexo sistema de músculos, ligamentos, discos e ossos, é chamado de disfunção da ATM (DTM).
Os principais sintomas da DTM são: dor nos músculos da face (a dor pode acometer a face como um todo: atrás dos olhos, na frente do ouvido, na cabeça, no pescoço e até causar um desconforto contínuo, semelhante a uma “torcicolo” o dia todo); dor na articulação (como a articulação está muito próxima do ouvido, as dores provenientes dela são confundidas com dor de ouvido); cansaço muscular (pode acontecer ao acordar ou no final do dia); ruídos articulares durante a fala ou a mastigação (como estalos e crepitações); zumbido no ouvido; função irregular ou limitada na abertura e no fechamento da boca (transforma movimentos normais em ações dolorosas, fazendo com que as pessoas inconscientemente comecem a restringir seus hábitos, falando e alimentando-se menos, abrir pouco a boca, evitar alimentos mais duros e, em alguns casos, limitando-se até socialmente) e travamento da mandibular.

Os problemas acima citados se manifestam de diferentes formas, intensidade e duração, as quais variam de pessoa para pessoa. O especialista nesta área está apto a realizar um minucioso exame para diagnosticar se as causas das dores são de origem ou se tem envolvimento odontológico e para realizar um criterioso tratamento, buscando sobretudo o restabelecimento da qualidade de vida.


Divisória